28 de November de 2021

NOTICIAS

Cuba celebra o Dia das Vítimas do Terrorismo de Estado

Cuba celebra o Dia das Vítimas do Terrorismo de Estado

Havana, 6 out (Prensa Latina) Cuba comemora hoje o Dia das Vítimas do Terrorismo de Estado, no qual homenageia os mais de 3.400 compatriotas que morreram em consequência dos ataques dos Estados Unidos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A data comemora a explosão em pleno vôo de uma aeronave Cubana de Aviación com 73 pessoas a bordo, após um ataque com explosivos orquestrado em 1976 pelos conhecidos terroristas Luis Posada Carriles (1928-2018) e Orlando Bosch (1926-2011), a serviço pela Agência Central de Inteligência (CIA).

O evento, conhecido como Crime de Barbados, tirou a vida dos 24 integrantes da equipe juvenil de esgrima, que retornaram ao seu país depois de disputar com sucesso o IV Campeonato Centro-Americano e Caribenho da modalidade, realizado na Venezuela. No total, morreram 57 cubanos, 11 guianenses e cinco coreanos.

Este ataque provocou o repúdio internacional, especialmente em Cuba, onde milhões de pessoas se uniram em dores multiplicadas, com uma demanda enérgica e viril pedido de justiça.

No entanto, este não foi o único ato de terrorismo de Estado sofrido por esta nação antilhana, vítima das ações forjadas nos Estados Unidos ao longo de décadas.

Segundo o documento Demanda do povo cubano ao governo dos Estados Unidos por danos econômicos, as operações secretas de Washington começaram em 1959 e, desde então, milhares de atos de sabotagem foram organizados, executados e financiados.

Estes incluem ataques econômicos, militares, biológicos, psicológicos, diplomáticos, midiáticos e de espionagem e tentativas de assassinato de líderes, aos quais se soma o ressurgimento sistemático do bloqueio de 60 anos daquele país, mesmo em meio à pandemia de Covid-19, o que reforça seu caráter genocida.

Alguns exemplos dessa política incluem o incêndio criminoso na loja El Encanto em 13 de abril de 1961, no qual Fe del Valle perdeu a vida; e a explosão de uma bomba no Hotel Copacabana, onde morreu o jovem turista italiano Fábio Di Celmo.

No alvorecer da Revolução, o vapor francês La Coubre foi sabotado, o que deixou 101 mortos, incluindo seis marinheiros do país gaulês, além de 400 pessoas feridas ou incapacitadas para a vida.

De acordo com reportagens da imprensa, pelo menos 3.478 pessoas morreram e 2.999 foram afetadas como resultado dos planos violentos de Washington contra a ilha.

ga/evm/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.