6 de December de 2021

NOTICIAS

Cuba encerra semana intensa na ONU em defesa do multilateralismo

Cuba encerra semana intensa na ONU em defesa do multilateralismo

Nações Unidas, 25 set (Prensa Latina) Cuba encerra hoje uma intensa agenda semanal nas Nações Unidas com intervenções do presidente Miguel Díaz-Canel e do chanceler Bruno Rodríguez, que denunciou a injusta ordem mundial e defendeu o multilateralismo.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Desde a última segunda-feira, quando começou a etapa de alto nível do 76ú período de sessões da Assembleia Geral, o chefe de Estado cubano defendeu uma ordem internacional mais justa e democrática, na qual ninguém fica para trás.

Durante o Momento sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o mandatário lembrou que Cuba assumiu os 17 compromissos consciente ‘dos grandes desafios que nos impõe a condição de um Estado insular em desenvolvimento e o impacto do cruel bloqueio económico, comercial y financeiro imposto pelos Estados Unidos’.

Por meio de videoconferência, o dignitário denunciou que o cerco a Washington, intensificado durante a pandemia de Covid-19, constitui o principal freio aos esforços do país para avançar no desenvolvimento econômico-social e na implementação da Agenda 2030.

Em reunião da Aliança dos Pequenos Estados Insulares, Díaz-Canel também ratificou o compromisso da ilha com a mudança climática. ‘Os países desenvolvidos devem assumir sua responsabilidade em apoiar os esforços para alcançar o desenvolvimento sustentável de todos os povos e salvar o planeta das ameaças que causaram’, afirmou.

Díaz-Canel também destacou a vontade humanística de Cuba diante desses riscos e denunciou o papel das nações desenvolvidas na destruição do meio ambiente devido a padrões irracionais de consumo.

No debate geral da ONU na quinta-feira passada, o presidente apelou a um multilateralismo renovado e reforçado, à cooperação solidária e à procura de soluções globais para problemas comuns.

Nesse sentido, ele fez um apelo para reverter a desigualdade no processo global de vacinação contra a Covid-19.

Centenas de milhões de pessoas em países de baixa renda ainda estão esperando por sua primeira dose e não podem nem mesmo estimar se algum dia a receberão, ele exclamou.

Em seu discurso, ele descreveu como inconcebível que tal desigualdade ocorra quando o gasto militar em 2020, em meio à pandemia, foi de quase 2 trilhões de dólares.

Em outro momento de seu discurso, destacou a determinação de seu país em apoiar causas justas e enfrentar abusos, agressões estrangeiras, colonialismo e racismo.

Por sua vez, o chanceler da ilha, Bruno Rodríguez, fisicamente presente na Assembleia Geral, manteve encontros separados com homólogos de vários países, entre eles Rússia, Catar, Argélia, Irã, Nicarágua, Venezuela e Guatemala.

Além disso, ele falou com altos representantes de organizações multilaterais, desde o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, ao presidente da 76ª sessão, o diplomata Abdulla Shahid.

Em todos os casos, ele destacou o compromisso da ilha com o multilateralismo, a cooperação em diferentes áreas e o estrito respeito aos princípios da Carta das Nações Unidas.

Representantes diplomáticos de Cuba defenderam esses mesmos critérios em vários foros colaterais que acompanharam a presente sessão.

msm / idm /ml

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.