28 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Corrupção salpica novamente a família Bolsonaro no Brasil

Corrupção salpica novamente a família Bolsonaro no Brasil

Brasília, 24 set (Prensa Latina) Uma empresa aberta por Ana Cristina Siqueira, ex-esposa do Presidente Jair Bolsonaro, fez estranhas e abundantes retiradas de dinheiro entre 2008 e 2014 que hoje o Ministério Público brasileiro está canalizando para um possível desvio de recursos públicos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Durante seis anos, Siqueira realizou 1.185 levantamentos em dinheiro na base de 1,15 milhão de reais (cerca de 217.000 dólares).

Esta retirada de recursos aparece em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras que investiga o suposto esquema no antigo escritório do conselheiro Carlos Bolsonaro, filho do presidente, para exigir que os funcionários depositassem parte de seus salários em suas contas, uma prática conhecida no Brasil como rachadinha.

As transações poderiam constituir prova de que as empresas ligadas à ex-mulher de Bolsonaro e mãe de sua última descendência ‘foram usadas para esconder o desvio de recursos públicos do esquema da rachadinha na prefeitura’, disse o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

Devido aos movimentos suspeitos, o MPRJ incluiu, na quebra de sigilo na investigação da rachadinha, duas pessoas ligadas à empresa Valle Ana Consultoria: Adriana Teixeira Machado, sócia minoritária de Siqueira, com 10% da empresa, e Luci Teixeira, sua mãe.

Segundo os promotores, ‘estas ligações, associadas ao movimento de dinheiro na conta da Valle Ana Consultoria, sugerem que Ana Cristina Siqueira Valle pode ter orientado parentes de seu parceiro a agir como ‘funcionários fantasmas’, a fim de permitir o desvio de recursos públicos para sua remuneração’.

Em agosto, o funcionário Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, que trabalhou para a família Bolsonaro durante 14 anos, revelou ao portal de notícias Metrópoles que a ex-esposa do presidente tem ‘coisas em nome das laranjas’. ‘Se você fizer a contabilidade de seus bens, não faz sentido. Além das coisas que ela tem em nome de outros’, ele alegou.

O Ministério Público está convencido de que há provas de que Siqueira controlava as nomeações de familiares como funcionários no escritório de Carlos Bolsonaro, no escritório do prefeito do Rio e no escritório de Flávio Bolsonaro, na Assembleia Legislativa.

Além disso, Renan Calheiros, o relator da comissão senatorial que investiga o desempenho do governo antes do Covid-19, disse ao portal UOL que Jair Bolsonaro cometeu um crime de corrupção no caso da tentativa de compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde.

‘Entendo (que o presidente praticou a corrupção) e suas impressões digitais estão no telefonema que fez ao primeiro-ministro indiano para pedir uma reserva de 20 milhões de doses da vacina. E depois o óbvio crime de prevaricação, quando ele prometeu agir em relação à investigação’, denunciou Calheiros.

jha/ocs/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.