3 de December de 2021

NOTICIAS

Vietnã firme contra o comércio ilegal de chifres de rinoceronte

Vietnã firme contra o comércio ilegal de chifres de rinoceronte

Hanói, 22 de set (Prensa Latina) No Dia Mundial do Rinoceronte, o Vietnã disse hoje que aplicará estritamente as leis nacionais contra o comércio ilegal de chifres deste animal ameaçado de extinção.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O vice-diretor do Centro Nacional de Educação para a Natureza, Bui Thi Ha, informou que de 2018 até o momento o país detectou 20 casos de contrabando de chifres pontiagudos deste volumoso mamífero, 14 dos quais já foram processados.

Ele lembrou que o Código Penal vietnamita que entrou em vigor em 2018 sanciona com mais rigor os crimes contra a vida selvagem em geral, e que o comércio ilícito de chifres de rinoceronte pode merecer uma pena máxima de 15 anos de prisão, mais que o dobro da anterior.

O Vietnã continuará investigando e agindo contra linhas ilegais de compra e venda e punirá contrabandistas de maneira estrita, advertiu.

Neste e em outros países asiáticos, os chifres de rinoceronte são muito procurados por serem atribuídos a propriedades medicinais e afrodisíacas.

Eles também são muito cobiçados em joias, pois são considerados um símbolo de status social. Alguns chegam a comprá-los como investimento, contando com o fato de que em um futuro não muito distante esses animais serão extintos.

Nas últimas quatro décadas, a população mundial de rinocerontes, sitiada por caçadores furtivos, caiu 95% e atualmente não ultrapassa 30 mil exemplares. Os conservacionistas alertam que, se nenhuma ação for tomada, em 10 anos eles terão desaparecido da face da Terra.

mem / asg / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.