14 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

ONG israelense denuncia estratégia colonização judaica na Cisjordânia

ONG israelense denuncia estratégia colonização judaica na Cisjordânia

Tel Aviv, 20 set (Prensa Latina) O primeiro-ministro israelense Naftalí Bennett continua a estratégia de colonização intensiva de seu antecessor, Benjamin Netanyahu, na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, denunciou hoje a ONG Paz Agora.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Fundada por ex-militares israelenses, a organização não governamental alertou em seu site sobre o início há várias semanas da construção da passagem subterrânea Qalandia, que permitirá uma viagem mais rápida entre várias colônias judaicas localizadas na margem ocidental e este país. A experiência anterior mostra que pavimentar essa estrada torna os assentamentos muito mais atraentes para os israelenses e leva a um crescimento rápido, alertou o PAZ AGORA.

Nesse sentido, ele enfatizou que a passagem subterrânea de Qalandia é uma das estradas mais importantes na revolução de estradas iniciada pelo governo de Netanyahu para ‘dobrar o número de colonos para um milhão’.

Gostaríamos de lembrar ao Ministro dos Transportes, Merav Michaeli, que essas obras são a chave para o desenvolvimento dos assentamentos e seu sustento, sem elas não podem se desenvolver, frisou a organização.

A ONG condenou no mês passado os planos expansionistas de Tel Aviv em Jerusalém Oriental, uma área reivindicada pelos palestinos como a capital de seu futuro estado.

O grupo rejeitou a proposta de construção de 9.000 casas no antigo aeroporto de Atarot, localizado entre as cidades palestinas de Kfar Aqab, Qalandia e Al Ram.

De acordo com dados oficiais palestinos, aquele país construiu mais de 31 mil casas nas 144 colônias localizadas na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental desde 2004 e construiu outros 139 postos avançados para futuros assentamentos.

Enquanto isso, o número de colonos cresceu de 415.000 há 17 anos para 660.000 em 2019, apesar da rejeição da comunidade internacional e das resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

jcm / rob / ls

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.