8 de December de 2021

NOTICIAS

Debates sobre gênero marcam disputa presidencial japonesa

Debates sobre gênero marcam disputa presidencial japonesa

Tóquio, 18 set (Prensa Latina) Abordagens divergentes das questões de gênero fizeram a diferença nos primeiros debates televisionados na disputa presidencial do Japão, que permanece aberta até hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Enquanto todos os candidatos a primeiro-ministro disseram que teriam melhores políticas para combater as pandemias e reduzir a diferença de renda, não houve uma resposta unânime sobre as questões de diversidade.

Em particular, surgiu uma dissensão notável sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo ou casados com sobrenomes separados.

Amplamente visto como o principal concorrente, o Ministro de Vacinas Taro Kono disse que é a favor da introdução do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Em contraste, seu principal concorrente, o ex-ministro das Relações Exteriores Fumio Kishida, respondeu que ele ‘não tinha chegado ao ponto’ de aceitá-lo.

Enquanto isso, os outros dois candidatos, Seiko Noda, ex-ministro de igualdade de gênero, e Sanae Takaichi, ex-ministra de assuntos internos, concentraram-se na possibilidade de permitir que os casais casados tenham sobrenomes separados.

Os defensores das mulheres, incluindo legisladores de todo o espectro político, querem que as mulheres possam escolher o nome que usam, mas isso não é possível sob a lei japonesa.

Takaichi, o mais conservador dos dois candidatos, disse que o país deveria continuar com o sistema existente para evitar confusão entre casais e seus filhos com sobrenomes diferentes.

Os dois candidatos masculinos assumiram uma postura mista, com Kono apoiando a possibilidade de os casais casados terem sobrenomes diferentes, enquanto Kishida preferiu consultar o público primeiro.

Os quatro concorrentes realizarão outro debate televisionado hoje, e por enquanto a disputa pela presidência do Partido Liberal Democrático (LDP) no poder ainda é considerada imprevisível.

Quem vencer nas eleições internas de 29 de setembro se tornará quase automaticamente primeiro-ministro por causa da maioria do LDP na câmara baixa do parlamento.

No amplo debate sobre questões que vão desde a Covid-19 até pensões e diplomacia, Kono insistiu no diálogo com a China, uma postura ecoada por Kishida.

Se nenhum candidato ganhar a maioria no primeiro turno, será realizada uma eleição de segundo turno entre os dois primeiros colocados.

Takaichi e Noda, que estão lutando para se tornar a primeira líder feminina do Japão, são vistos como um tiro no escuro, embora o primeiro tenha o apoio do ex-presidente Shinzo Abe e de outros conservadores do LDP.

rgh/lp/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.