6 de December de 2021

NOTICIAS

Movimentos de solidariedade rejeitam campanha e bloqueio contra Cuba

Movimentos de solidariedade rejeitam campanha e bloqueio contra Cuba

Havana, 17 set (Prensa Latina) Membros de movimentos de solidariedade a Cuba denunciaram hoje a campanha de desinformação contra a ilha, incentivada pelos Estados Unidos, e rejeitaram a imposição de sanções unilaterais que afetam o desenvolvimento do país.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Como parte do foro virtual da Jornada Temos Memória, convocado pelo Instituto da Amizade com os Povos do País (ICAP), representantes da sociedade antilhana exigiram o fim do bloqueio comercial, econômico e financeiro.

Gerardo Hernández, coordenador nacional dos Comitês de Defesa da Revolução (CDR), a maior organização de massas do país, rejeitou a deturpação da realidade cubana na Internet.

‘Há pessoas no mundo que foram manipuladas pela propaganda e desinformação que proliferam nas redes sobre nosso país e não sabem que os Estados Unidos trabalharam muitos anos para criar o caos e uma explosão social’, disse.

Além disso, reiterou que o povo cubano vive sob os efeitos de ‘um bloqueio brutal intensificado durante a pandemia de Covid-19’.

Na opinião de Hernández, isso contradiz a alegada preocupação dos Estados Unidos com o respeito aos direitos humanos em Cuba e instou seu governo a suspender as restrições que visam sufocar a ilha.

O também Herói da República agradeceu à comunidade internacional que na sua grande maioria apoia a maior ilha das Antilhas e a acompanha na sua condenação ao bloqueio.

Por sua vez, a vice-presidente do ICAP, Noemí Rabaza, rejeitou a apresentação, discussão e aprovação nesta quinta-feira no Parlamento Europeu de um relatório ‘que se soma à agressão política e econômica dos Estados Unidos contra Cuba’.

Esta ação não corresponde à vontade de reforçar o acordo de diálogo político e de cooperação entre a ilha e a União Europeia, afirmou.

O bloqueio é um crime contra a humanidade e a principal limitação para nosso desenvolvimento, disse Rabaza, que reafirmou o apoio internacional que o país caribenho tem todos os anos para sua eliminação.

Da mesma forma, destacou o trabalho do Governo cubano no enfrentamento da pandemia, bem como na adoção de medidas para promover o desenvolvimento econômico e social, fortalecer o setor estatal e não estatal, estreitar as relações entre os atores econômicos e impulsionar o setor agroalimentar.

‘Fazemos grandes esforços pela transformação social de bairros e comunidades’, afirmou.

Rabaza também enfatizou que Cuba é o primeiro país a iniciar uma campanha massiva de vacinação em idade pediátrica.

Em outro momento, a jornalista cubana Cristina Escobar denunciou a intensificação do cerco com sanções unilaterais durante a Covid-19, que descreveu como uma política fascista e injusta que não se preocupa com os direitos humanos das pessoas.

O fórum foi veiculado no canal @SiempreConCuba nas redes sociais Facebook, Twitter e YouTube.

mgt / idm / hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.