9 de December de 2021

NOTICIAS

Cuba e OMS pelo reconhecimento das vacinas anti-Covid-19 da ilha

Cuba e OMS pelo reconhecimento das vacinas anti-Covid-19 da ilha

Havana, 16 de set (Prensa Latina) Especialistas de Cuba e da Organização Mundial da Saúde (OMS) trocarão informações hoje para iniciar o processo de reconhecimento internacional das vacinas anti-Covid-19 neste país.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Anteriormente houve algumas reuniões com a representação da OMS em Havana e Genebra, mas a partir desta quinta-feira os especialistas da organização internacional de saúde começarão a avaliar a documentação entregue pela nação caribenha.

Esses detalhes foram relatados recentemente por Rolando Pérez, diretor de Ciência e Inovação do Grupo Empresarial de Biotecnologia e Indústrias Farmacêuticas de Cuba (BioCubaFarma).

Da mesma forma, o representante da Organização Pan-Americana e Mundial da Saúde (OPS / OMS) na maior das Antilhas, José Moya, explicou que será constituída uma equipe de trabalho para revisar os resultados dos ensaios clínicos, processos de produção e qualidade dos três. Vacinas cubanas.

São as primeiras da América Latina e Caribe: Abdala, Soberana 02 e Soberana Plus, propostas que receberam autorização para seu uso emergencial pelas autoridades reguladoras nacionais.

Abdala, desenvolvido pelo Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), demonstrou 92,28% de eficácia em seus ensaios clínicos em termos de capacidade de prevenção de doenças sintomáticas.

Por sua vez, o esquema heterólogo de duas doses de Soberana 02 mais um potenciador do seu homólogo Soberana Plus, ambos do Finlay Institute of Vaccines (IFV), mostrou 91,2 por cento de eficácia durante os ensaios clínicos também na prevenção da doença sintomática.

Em várias ocasiões, a OPS reconheceu os esforços de Cuba no desenvolvimento de seus próprios produtos anti-Covid-19 e sua importância para a região.

A maior das Antilhas desenvolve também duas outras propostas anti-Covid-19, Sovereign 01 do IFV e Mambisa do CIGB, em diferentes fases de ensaios clínicos e com resultados até agora animadores, sendo que a última delas é uma das sete no mundo planejado para administração nasal.

Especialistas no assunto garantem que cada país tem autoridade para usar a vacina que considerar pertinente, mesmo que não seja reconhecida pela OMS.

As propostas cubanas já são utilizadas em algumas nações como parte de acordos bilaterais e colaboração no desenvolvimento de estudos clínicos, enquanto a imunização com eles avança em todo o território nacional.

No entanto, o reconhecimento pela OMS facilitará a entrada desses produtos no mercado de outras nações, depois de contempladas as necessidades do território nacional.

rgh / rbp / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.