28 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Exigida regulação de redes sociais pela polarização política nos EUA

Exigida regulação de redes sociais pela polarização política nos EUA

Washington, 13 set (Prensa Latina) Plataformas sociais como Facebook, YouTube e Twitter são responsáveis pela intensificação da polarização política nos Estados Unidos, revela hoje um relatório que recomenda ao governo federal que tome medidas para regulamentá-las.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Segundo o estudo, conduzido pelo Centro Stern para Negócios e Direitos Humanos da Universidade de Nova York, as plataformas tecnológicas não conseguiram ‘auto-regulamentar-se o suficiente’, tornando necessária a intervenção do governo.

Os autores citam a erupção de 6 de janeiro dos apoiadores do ex-presidente Donald Trump no Capitólio, em Nova York, como um exemplo de mídia social que contribui para a polarização política de uma forma que se manifesta em danos do mundo real.

Não estamos falando apenas em abstrato, mas sobre consequências muito específicas que corroem aspectos da democracia e das relações civis entre as pessoas e a confiança nas instituições, disse Paul Barrett, vice-diretor do Centro e um dos participantes do projeto, conforme citado pelo The Hill.

O estudo pede que o Comitê de Seleção da Câmara que investiga a insurreição dedique ‘amplos recursos’ para determinar como a tecnologia foi utilizada para incitar a violência em 6 de janeiro.

Ela até mesmo pede ao Presidente Joe Biden que persuada os legisladores e o público em geral a combater a polarização on-line para evitar ‘versões futuras’ dos eventos no Capitólio.

As sugestões vêm quando Washington, D.C. se prepara para um comício em 18 de setembro, no qual os participantes pró-Trump exigirão ‘justiça’ para aqueles que enfrentam acusações federais de bombardear o Capitólio oito meses atrás.

Grupos de extrema-direita como os Garotos Orgulhosos e Guardiões do Juramento – vários de cujos membros foram acusados de crimes relacionados com a insurreição – planejam comparecer, de acordo com reportagens da mídia local.

A perspectiva de tal comício, dedicado a apoiar pessoas descritas como ‘presos políticos’ e assim por diante, é exatamente o tipo de evento que a mídia social está ajudando a inflamar, disse Barrett.

‘As brasas estão queimando vermelho quente, ainda não há chamas, mas a capacidade de espalhar mentiras e se organizar através das mídias sociais é como derramar gasolina, e esse é o perigo’, acrescentou ele.

Em 6 de janeiro, centenas de pessoas invadiram o Capitólio, forçaram a evacuação do Congresso e atrasaram a contagem dos votos do Colégio Eleitoral que certificaria a derrota do republicano e a vitória do democrata Biden nas eleições de 3 de novembro de 2020.

Mais de 140 policiais foram feridos no motim, que deixou cinco mortos.

rgh/dfm/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.