29 de November de 2021

NOTICIAS

Cuba rejeita a ligação entre as MPMEs e o retorno ao capitalismo

Cuba rejeita a ligação entre as MPMEs e o retorno ao capitalismo

Havana, 3 set (Prensa Latina) As micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) são totalmente alheias a um suposto retorno do capitalismo em Cuba; pelo contrário, são para aperfeiçoar o socialismo de acordo com o modelo econômico delineado.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Com estes critérios, autoridades do Ministério da Economia e Planejamento rejeitaram recentemente a ideia de que a criação destas organizações empresariais é a restauração do capitalismo.

É uma questão de aperfeiçoar o sistema delineado na Constituição da República e endossado na Estratégia Econômica e Social da nação.

Sobre o assunto, o vice-primeiro ministro Alejandro Gil disse que o país tem que alcançar uma economia eficiente em meio às restrições impostas pelo bloqueio americano, capaz de superar este cenário e criar a riqueza e os bens que sustentam um projeto social inclusivo.

‘Tudo isso, acrescentou ele, sob o princípio da equidade. Não queremos um projeto capitalista e neoliberal e, portanto, temos dado atenção especial à proteção dos trabalhadores e do sistema de previdência social. É um socialismo mais moderno, mais inclusivo’, disse ele, dando detalhes deste importante processo.

No dia 20, entrarão em vigor as normas legais para a constituição de MPMEs e a transformação de cooperativas não-agrícolas e autoemprego (privadas), com as quais Cuba incorpora as forças produtivas em seu modelo de desenvolvimento.

Gil garantiu que o objetivo é alcançar uma economia eficiente e diversificada, e reconheceu a busca por maior competitividade para que ela possa ser impulsionada por menos mecanismos administrativos e mais por incentivos financeiros.

A aposta é na produção de alimentos e bens e serviços de alta qualidade com a execução de projetos tecnológicos, a fim de aproveitar o talento criado e as capacidades disponíveis, de modo que os profissionais possam fazer parte deste projeto para utilizar todas as forças possíveis.

Com esta decisão, Cuba não está criando um setor de segunda classe ou de subsistência, mas um setor que contribui para o produto interno bruto e tem um impacto no emprego e nas exportações com bens e serviços de qualidade, razão pela qual a aspiração é ter organizações com uma ampla base tecnológica que contribuam para o desenvolvimento econômico e social do país.

Na concepção das MPMEs, muitos elementos foram levados em conta e os obstáculos eliminados para não atrapalhar seu desenvolvimento, como demonstra a possibilidade de poder se associar com capital estrangeiro ou capital cubano, residentes permanentes no país ou no exterior, e constituir uma empresa mista, o que não contradiz as políticas estabelecidas, assegurou o funcionário.

É um projeto que inclui o setor estatal e privado para impulsionar a economia, conforme previsto na Lei de Investimentos Estrangeiros, além da capacidade concedida às MPMEs, cooperativas e trabalhadores para exportar e importar, através de entidades estatais.

Também são de grande relevância as diretrizes elaboradas para evitar a concentração da propriedade e da riqueza em atores não estatais ou pessoas físicas, estabelecendo que apenas uma MPME pode ser parceira.

Esta é uma disposição, incluída nas normas legais dos novos atores econômicos, e responde ao desenho do sistema socialista cubano, embora seu propósito corporativo seja amplo e eles possam se engajar em tantas atividades quantas estiverem autorizados a fazer e possam realizar.

Isto é precisamente para evitar a concentração da propriedade e da riqueza, um elemento que não é consistente com o socialismo e que poderia ser contornado se sucessivas MPMEs fossem criadas com o mesmo proprietário.

A criação dessas entidades será priorizada na produção de alimentos, empresas de base tecnológicas relacionadas à fabricação de aditivos, robótica, geração de novos materiais e em parques tecnológicos.

Também inclui projetos de desenvolvimento local coerentes com a política de desenvolvimento territorial e toda a economia circular, que tem como ponto essencial o uso de matérias-primas nacionais.

oda/crc/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.