7 de December de 2021

NOTICIAS

China acompanha a situação no Afeganistão

China acompanha a situação no Afeganistão

Beijing, 3 set (Prensa Latina) A China disse hoje que está acompanhando de perto a situação no Afeganistão e defendeu que o futuro governo de lá deveria ser inclusivo, adotar políticas internas e externas moderadas, e fechar as portas ao terrorismo.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, Beijing está mantendo sua embaixada em Cabul operando normalmente porque é ‘um canal chave para os contatos entre os dois países’.

A prioridade do gigante asiático, observou, é garantir ‘uma aterrissagem suave’ no Afeganistão, ajudar a garantir que não haja guerra civil com desastre humanitário e evitar a todo custo mortes desnecessárias e uma onda maciça de refugiados.

Wang também sentiu que era dever de muitos países assumir a responsabilidade pelos danos causados durante os últimos 20 anos, não deixá-la a seu bel-prazer, nem passar o problema para os países vizinhos ou para a comunidade internacional.

Após a entrada do Talibã em Cabul no mês passado, a China disse que ‘continuaria a buscar boas relações de vizinhança, cooperação e amizade’ com o Afeganistão.

Suas empresas ali estão se preparando para expandir os investimentos uma vez iniciada a reconstrução.

Na semana passada, porém, instou o Talibã a honrar seu compromisso de romper os laços com qualquer organização terrorista, combater o Movimento Islâmico do Turquestão Oriental e resolver problemas que impedem a manutenção da paz regional e o desenvolvimento da cooperação.

Ontem, o Ministro Adjunto das Relações Exteriores Wu Jianghao reiterou ao líder sênior do Talibã Abdul Salam Hanafi Beijing a posição de respeito pela soberania, independência e integridade territorial do Talibã.

Também desejava o estabelecimento precoce da paz, da estabilidade e das condições para o progresso da reconstrução.

De acordo com relatos aqui, Hanafi disse que seu movimento nunca permitirá o uso do solo afegão para ameaçar os interesses e a segurança da China, suas entidades e seu pessoal.

Também disse que era favorável à expansão da cooperação bilateral e ao aproveitamento do contexto do projeto ‘Nova Rota da Seda’ da China como apropriado para o desenvolvimento e a prosperidade do Afeganistão.

mem/ymr/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.