6 de December de 2021

NOTICIAS

Crise causa migração para universidades públicas no Panamá

Crise causa migração para universidades públicas no Panamá

Panamá, 31 ago (Prensa Latina) As universidades estaduais do Panamá estão experimentando uma explosão de novas matrículas, em parte provenientes de centros privados em busca de taxas mais baratas ou gratuitas, publicou hoje a imprensa local.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Como resultado desta migração, as particulares relatam uma queda nas inscrições de estudantes para cursar o quarto trimestre deste ano, informou o jornal La Estrella de Panamá, que realizou um levantamento das causas que os dirigentes desses centros associam com a crise econômica que o país está enfrentando devido à pandemia Covid-19.

Cerca de 22.600 estudantes inscreveram-se para iniciar as aulas nas cinco casas oficiais de estudos superiores, a maioria nas universidades do Panamá, na capital, e Nacional de Chiriquí, no extremo oeste do país, embora tenha havido um notável afluxo para o Universidade Tecnológica das Américas e Universidade Marítima.

A fonte garantiu que ‘até ao momento, os oficiais têm aberto as portas a quem não pode pagar os estudos nas privadas, porque a maior parte das atividades é feita virtualmente’.

No entanto, quando o Ministério da Saúde autorizar o retorno às salas de aula, eles não terão capacidade suficiente para atender os alunos, por isso as autoridades universitárias anteciparam que algumas carreiras permaneceriam virtuais, disse o jornal.

‘Nas salas de aula são 25 ou 40 alunos, você não pode ter eles concentrados por problemas de distanciamento físico. Estamos trabalhando na questão da divisão da sala, e dependendo da carreira você pode ter os estudantes no presencial e duas vezes de forma virtual’, explicou Juan Bosco, reitor da Universidade das Américas.

‘A abertura de vagas para os alunos nas salas de aula obriga-nos a pedir ao Ministério da Economia e Finanças que eleve o orçamento das universidades, porque ‘o aumento das inscrições implica que vamos atender a uma demanda de profissionais e técnicos’, acrescentou.

‘As matrículas são tema de preocupação porque caíram pela metade’, disse Orlando Allard, reitor da Faculdade de Negócios, Logística e Ciências Marítimas da Universidad Santa María la Antigua, onde as dificuldades aumentaram com o atraso no pagamento das mensalidades de quem estuda nessa faculdade.

A reitora da também privada Universidade Latina, Mirna De Crespo, explicou aos meios de comunicação que as famílias não se recuperam economicamente, mas devem pagar suas dívidas bancárias, que envolvem inclusive moradias que não podem sacrificar e, portanto, reduzem despesas com educação por serem consideradas não-prioridade.

Para agilizar o ingresso nas universidades, a ministra da Educação Maruja Gorday disse ao jornal que trabalham ’em uma aliança com 15 universidades públicas e privadas que nos deram 15 mil vagas para reforçar e formar estudantes do terceiro trimestre, que representam 50% dos licenciados ‘.

npg/orm/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.