7 de December de 2021

NOTICIAS

Centrais sindicais no Brasil chamam à unidade contra Bolsonaro

Centrais sindicais no Brasil chamam à unidade contra Bolsonaro

Brasília, 31 ago (Prensa Latina) Um manifesto assinado por 10 centrais sindicais pede hoje à união de todos os poderes, governadores, prefeitos, parlamentares, trabalhadores e sociedade civil para conter o presidente Jair Bolsonaro e salvar o Brasil.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Através de uma avaliação das crises econômicas, sociais e políticas que o país atravessa, as organizações signatárias criticam a escalada autoritária do governo e alertam para a necessidade de unidade no dia 7 de setembro, o 199ú aniversário da proclamação da Independência, em defesa do Estado democrático de direito.

O objetivo, de acordo com o documento, é conter os impulsos autoritários dos ex-militar e discutir questões urgentes como a criação de empregos decentes, a necessidade de programas sociais e o enfrentamento da crise sanitária causada pela Covid-19.

Um trecho do documento afirma que ‘ao invés de agir para resolver os problemas, agravados pelo caos político instalado em Brasília durante a atual administração, o governo está alimentando-os’.

E os utiliza, acrescenta, para ‘atacar os direitos trabalhistas, afetando ainda mais o já instável mercado de trabalho’. Segundo as centrais sindicais, ‘o próprio presidente está encarregado de gerar pessoalmente confrontos diários, criando um clima de instabilidade e uma imagem desacreditada do Brasil’.

Advertem que o país não pode mais suportar, especialmente o povo pobre, que mais sofre as consequências da má administração de Bolsonaro.

O Brasil ‘não pode estar à mercê das ideias malucas de uma pessoa que demonstrou total incapacidade política e administrativa, e total insensibilidade social’, denuncia o conteúdo.

Insta os poderes legislativo e judicial em todos os níveis, governadores e prefeitos a tomarem a liderança em decisões importantes em nome do Estado de direito democrático.

Para os signatários da declaração, ‘este movimento deve ser impulsionado pelo forte sindicato de trabalhadores e seus órgãos representativos’.

Da mesma forma por todas as instituições democráticas, pela sociedade civil organizada, em suma, por todos os ‘cidadãos que querem conduzir nosso país de volta a um caminho virtuoso para o benefício do povo’.

Os membros do Supremo Tribunal Federal preveem que o dia 7 de setembro intensificará a crise institucional.

As manifestações pró-governo, inclusive incentivadas por Bolsonaro, que anunciou sua participação nos eventos em Brasília e São Paulo, estão preocupando as secretarias de Segurança Pública e do Congresso.

Nesse dia, segundo a Central Única dos Trabalhadores, o rugido da concentração Fora de Bolsonaro se unirá ao Grito dos Excluídos em todo o Brasil com a participação de sindicatos, movimentos sociais, entidades da sociedade, partidos progressistas em um total de mais de 80 organizações.

msm/ocs/bm/gdc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.