25 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

México deve proteger o boto marinho, alerta comissão ambiental

México deve proteger o boto marinho, alerta comissão ambiental

México, 12 Agos(Prensa Latina) Diante do risco de extinção do boto marinho, espécie endêmica do Alto Golfo da Califórnia, a Comissão Norte-Americana de Cooperação Ambiental (Ccaan) exigiu que o México os protegesse hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A entidade pediu para investigar o descumprimento do governo de suas leis de pesca e comércio e definir se há violação do acordo tripartite de livre comércio com o Canadá e os Estados Unidos. Ele lembrou que apenas cerca de 10 espécimes ainda estão vivas.

O Centro de Diversidade Biológica (CDB), por sua vez, lembrou que o Ccaan foi criado para atender às preocupações ambientais trilaterais e promover a aplicação da legislação ambiental.

A organização entrou com uma petição junto à comissão para investigar e desenvolver um registro factual formal sobre as falhas do México, informou.

Acrescenta que, no acordo comercial, os Estados Unidos, o México e o Canadá se comprometeram que nenhuma parte deixará de aplicar efetivamente suas leis ambientais.

A CDB também solicitou ao Comitê Inter setorial de Monitoramento e Conformidade Ambiental do escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos que iniciasse ações de coação contra o México por violações do acordo.

De acordo com o processo, o governo falhou repetidamente em impor sua própria proibição de pesca no habitat desse mamífero marinho no Golfo Superior da Califórnia. O México ainda não respondeu, mas sua batalha para proteger os poucos espécimes sobreviventes é conhecida.

Em novembro de 2020, mais de 1.100 embarcações foram documentadas pescando ilegalmente e, em julho de 2021, o México emitiu novas regras que enfraqueceram a aplicação da lei sobre a pesca ilegal no habitat central do boto, disse Sarah Uhlemann, diretora do programa da CBD International.

O complicado da questão é que vivem em um habitat muito difícil de estabelecer sua proteção, e os pescadores de redes não utilizam malhas especiais para que não se enredem nelas e morram.

Ele acrescentou que as autoridades mexicanas prometeram repetidamente remover as redes ilegais de seu habitat, mas não tiveram sucesso.

Eles normalmente morrem apanhados em redes de pesca ilegais criadas para capturar camarões e peixes, incluindo a totoaba, que está em perigo de extinção.

A bexiga natatória totoaba é comercializada ilegalmente no mercado internacional a preços astronômicos devido a supostas propriedades medicinais, acrescentou o CBD.

mem/lma/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.