2 de July de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Transferem no Haití arquivo de Magnicídio ao Ministério Público

Transferem no Haití arquivo de Magnicídio ao Ministério Público

Porto Príncipe, 10 ago (Prensa Latina) A Direção Central da Polícia Judiciária (DCPJ) transferiu o processo do assassinato do presidente Jovenel Moïse ao Ministério Público, um mês após o crime, revelou hoje a imprensa local .
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

No documento de 120 páginas, a DCPJ estabeleceu os vínculos entre os 44 suspeitos e seu grau de envolvimento, de acordo com a plataforma digital Haiti24.

As armas de fogo, coletes à prova de balas e granadas de fragmentação apreendidos pelas autoridades policiais, bem como a grande quantia de dinheiro recuperada da posse de três membros do comando mortos pela polícia, também foram transferidos para o cartório do Ministério Público do Tribunal de Justiça, primeira instância.

Na semana passada, as autoridades policiais entregaram o processo ao Decano do Tribunal de Primeira Instância de Porto Príncipe, Bernard Saint-Vil, que nomeou o juiz Mathieu Chanlatte para investigar o caso.

Chanlatte lidou anteriormente com casos como as cartas de identificação do Dermalog e a disputa entre o estado e a empresa de eletricidade Sogener.

Vários magistrados se recusaram a investigar o assassinato, alegando temores por sua segurança, após os juízes de paz Carl Henri Destin e Clément Noël, bem como dois funcionários judiciais que fizeram os primeiros relatos, relataram ter recebido ligações intimidadoras, ameaças de morte e para buscar abrigo.

Moïse foi morto a tiros em sua residência em Pelerin 5 na madrugada de 7 de julho, aparentemente sem a intervenção da guarda presidencial.

Pelo menos quatro policiais, incluindo dois seguranças, estão detidos na Penitenciária Nacional, junto com 18 colombianos suspeitos de fazerem parte do comando armado que matou o presidente.

O promotor da capital, Claude Bed-Ford, emitiu seis mandados de prisão por homicídio, tentativa de homicídio e assalto à mão armada ao líder do partido governista Tét Kale, Liné Blathazar, ao ex-primeiro-ministro Paul Dennis e ao empresário Samir Handall.

Também sujeitos estão os pastores Gerard Forges Janvier e Gerald Bataille, que denunciaram a perseguição política.

Como parte da investigação, Bed-Ford recebeu o ex-presidente da Assembleia Nacional Youri Latorute e o ex-senador Stevens Benoit em audiências, embora ele não tenha conseguido entrevistar os responsáveis ​​pela segurança presidencial.

mgt / ane / hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.