17 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Homenagearão às vítimas cubanas da ditadura argentina

Homenagearão às vítimas cubanas da ditadura argentina

Buenos Aires, 9 ago (Prensa Latina) O Movimento Argentino de Solidariedade com Cuba, entre outras instituições, prestará hoje homenagem aos dois jovens diplomatas cubanos que foram assassinados durante a última ditadura militar na nação sul-americana (1976-1983).
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Quarenta e cinco anos após aquele triste evento, no qual Jesús Cejas Arias e Crescencio Galañena Hernández foram sequestrados, figuras de destaque se juntarão a um painel organizado para ser transmitido ao vivo em redes sociais, para homenagear duas das milhares de vítimas deixadas por um dos períodos mais duros da história argentina, cujas feridas ainda estão abertas.

O evento contará com a presença, entre outros, da ex-embaixadora argentina em Cuba Juliana Marino e Ricardo Maggio, Coordenador do Espaço da Memória e da promoção dos direitos humanos no que antes foi o Centro de Detenção e Torturas Clandestinas (CCDT) conhecido como Automotores Orletti, onde os dois jovens foram levados após serem sequestrados.

Crescencio Galañena Hernández e Jesús Cejas Arias, de 27 e 22 anos respectivamente, foram abordados em 9 de agosto de 1976 por forças-tarefas da ditadura argentina, muito próximas à embaixada da nação caribenha em Buenos Aires, no bairro de Belgrano, que os raptaram, torturaram e desapareceram.

Em junho de 2012, quase 36 anos depois, a 30 quilômetros da capital argentina, crianças brincando em uma propriedade abandonada na cidade de Virreyes, em Buenos Aires, no distrito de San Fernando, encontraram o corpo de Galañena Hernández em um tanque metálico de 200 litros cheio de cimento.

Um ano depois, em 2013, após uma busca exaustiva na qual foram encontrados outros restos mortais nas mesmas condições, incluindo o de uma mulher argentina que trabalhava na embaixada, foi encontrado o corpo de Jesús Cejas.

Ambos jovens, que trabalhavam como guardas na embaixada, haviam sido levados para Automotores Orletti, um dos muitos centros clandestinos criados pela SIDE (Secretaria de Inteligência) no bairro de Flores.

Outras pessoas que trabalhavam no escritório comercial e na escola ligada a ele para os filhos dos funcionários também foram sequestradas. Apenas cinco dos 18 sobreviveram e apenas um corpo, o da professora María Rosa Clementi de Cancere, foi encontrado em outro tanque, na área onde foram recuperados os restos de Jesús e Crescencio.

jha/may/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.