27 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

A Rússia e os EUA abrem caminho para o controle de armas

A Rússia e os EUA abrem caminho para o controle de armas

Por Mario Muñoz Lozano
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Moscou, 28 jul (Prensa Latina) A Rússia e os Estados Unidos se reúnem novamente hoje em Genebra, em uma nova tentativa de abrir o caminho que lhes permita avançar em prioridades comuns em estabilidade estratégica e controle de armas.

Há um mês antes de um encontro entre o presidente russo Vladimir Putin e seu homólogo estadunidense, Joseph Biden, também na capital suíça, as delegações terão que superar os muitos obstáculos nas relações bilaterais, que se deterioraram nos últimos tempos.

A exemplo do que aconteceu com a reunião presidencial de 26 de junho, observadores e cientistas políticos não nutrem grandes expectativas para os resultados da reunião, embora continuem otimistas porque, pelo menos, Moscou e Washington vão falar sobre um assunto fundamental para a segurança global.

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Riabkov, que viajou a Genebra como chefe da delegação de seu país, confirmou na véspera que Moscou já havia compartilhado com Washington suas propostas de trabalho para uma possível cooperação nessas questões.

‘Já os enviamos por escrito. Durante os preparativos para a reunião, levantamos uma série de considerações adicionais sobre qual deveria ser a agenda dos próximos trabalhos’, disse Riabkov, de acordo com a agência de notícias TASS.

Em declarações aos jornalistas, ele reconheceu que as abordagens de ambas as partes não concordam em tudo e por isso será realizado o encontro na Suíça.

Salientou que o objetivo é ‘iniciar o processo’ e analisar detalhadamente onde existem divergências entre as partes, ao mesmo tempo que se tenta encontrar áreas de trabalho conjunto, ‘onde haja alguma perspectiva’, afirmou.

Os obstáculos ao entendimento mútuo são abundantes e antigos. Entre eles está o apelo russo aos Estados Unidos para que limitem suas defesas antimísseis, que Moscou vê como uma ameaça de longo prazo e Washington apoia como um suposto elemento dissuasivo em caso de ameaça de guerra.

A questão desacelerou os esforços anteriores para ampliar o alcance do intercâmbio sobre o controle de armas, que não incluíram uma moratória no sistema de defesa antimísseis ao lado das categorias tradicionais de mísseis nucleares ‘estratégicos’ ou de longo alcance.

Também é de se esperar que na mesa de negociações em Genebra, o lado russo lembre à subsecretária de Estado dos Estados Unidos, Wendy Sherman, à frente da delegação de seu país, o afastamento de Washington dos acordos mais importantes em matéria de segurança nuclear e controle de armas. O presidente russo destacou a recente assinatura pelos Estados Unidos da prorrogação do Tratado para a Redução e Limitação de Armas Ofensivas Estratégicas (Start III), por um período de cinco anos, ação apoiada pelo Kremlin.

No entanto, ele também criticou a decisão da Casa Branca de não responder às propostas de Moscou para a implementação de uma suspensão da implantação de mísseis de curto e médio alcance na Europa.

Em 2002, os Estados Unidos abandonaram o Tratado de Mísseis Antibalísticos (ABM) que o presidente Richard Nixon assinou com a ex-União Soviética em 1972. Em 2019, o então presidente Donald Trump retirou o país do Tratado de Eliminação de Mísseis de Curto e médio Alcance (INF).

Mais recentemente, em 2020, Washington renunciou ao Tratado de Céus Abertos (ATT), que estabelece um programa de voos de reconhecimento aéreo, sem armas, sobre os territórios de todos os países parte, a fim de aumentar a confiança entre seus membros.

Cientistas políticos e especialistas têm alertado reiteradamente sobre a atual fragilidade das relações entre os Estados Unidos e a Rússia no campo armamentista, levando em consideração que o Start III é hoje o único acordo que os une no campo do desarmamento nuclear.

Portanto, embora as sessões desta quarta-feira possam não gerar um progresso significativo e os entendimentos se tornem difíceis, é provável que levem a conversas adicionais, o que seria um avanço, especialmente quando a segurança global está em jogo.

ga / mml /cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.