7 de December de 2021

NOTICIAS

China pede despolitização e rastreamento da origem do SARS-CoV-2

China pede despolitização e rastreamento da origem do SARS-CoV-2

Beijing, 22 de jul (Prensa Latina) A China pediu hoje à Organização Mundial da Saúde (OMS) que pare a interferência política, trate a pesquisa sobre a origem do coronavírus SARS-CoV-2 como um tópico científico e a desenvolva em todos os países com casos em 2019.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Zeng Yixin, vice-diretor da Comissão Nacional de Saúde, insistiu a agência a promover um trabalho ativo, prudente e contínuo em todo o mundo para que a primeira etapa dos estudos não se repita e as conclusões obtidas sejam respeitadas.

Como ele indicou em uma entrevista coletiva, ele ficou surpreso que a OMS nesta sexta-feira decidiu prosseguir com novas investigações sobre o surgimento do coronavírus na China e incluiu todos os laboratórios e mercados em Wuhan, onde foi relatado pela primeira vez aqui.

O funcionário descreveu a ação como ‘arrogante, falta de respeito ao bom senso e contrária à ciência’.

Para ele, a nova fase deve ignorar os locais já inspecionados e onde foram tiradas conclusões claras.

Zeng enfatizou em uma entrevista coletiva que nenhum funcionário do Instituto de Virologia de Wuhan contraiu o vírus ou desenvolveu sua doença consequente, Covid-19, antes que o primeiro caso fosse relatado na China em dezembro de 2019.

Também negou relatos sobre a suposta existência e vazamento de patógenos criados artificialmente lá ou no laboratório de biossegurança do tipo P4.

Já Liang Wannian, que liderou os especialistas chineses na investigação realizada no início deste ano em conjunto com a OMS, considerou a fuga do SARS-CoV-2 de algum centro altamente improvável e também desnecessária para alocar mais recursos para aprofundar a teoria.

Ele concordou que a pesquisa deveria incluir laboratórios de outros países, após especificar a relevância de consolidar a cooperação de cientistas, governos e povos para realizar a complexa tarefa de investigar a natureza dos vírus.

Zeng, Liang e outras autoridades chinesas falaram assim em meio a um ressurgimento do atrito com as potências ocidentais sobre a origem do SARS-CoV-2.

Segundo observadores locais, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, sucumbiu à pressão política liderada pelos Estados Unidos porque pediu a Beijing que seja transparente e aberta nas investigações futuras.

O Ministério das Relações Exteriores também insistiu nesta semana na despolitização do tema e também uma petição publicada nas redes sociais do gigante asiático já recolheu mais de cinco milhões de assinaturas a favor da inclusão do laboratório norte-americano Fort Detrick nos estudos.

rgh / ymr / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.