6 de December de 2021

NOTICIAS

Israelenses permanecem divididos quanto às preferências eleitorais

Israelenses permanecem divididos quanto às preferências eleitorais

Tel Aviv, 13 jul (Prensa Latina) Um mês após a formação de um novo governo, os israelenses continuam divididos sobre suas preferências eleitorais, embora a coalizão governista ganhe duas cadeiras se novas eleições forem realizadas hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Uma pesquisa divulgada pelo Canal 12 especificou que a aliança liderada pelo primeiro-ministro de extrema direita Naftali Bennett obteria um total de 63 assentos em 120 no Knesset (parlamento nacional).

No entanto, o Likud, liderado pelo ex-chefe do governo Benjamin Netanyahu, ganharia 30 cadeiras e continuaria como o maior partido na legislatura.

Depois de 12 anos à frente do Executivo, este foi substituído há um mês por seu ex-aliado Bennett, com quem compartilha a mesma ideologia.

A aliança governamental diversificada inclui grupos de extrema direita, centro, pacifistas e islâmicos, todos unidos por um denominador comum: sua rejeição a Netanyahu, chefe da oposição e considerado um falcão por suas duras posições sobre os palestinos.

De acordo com a pesquisa, a formação de Yesh Atid, liderada pelo ministro das Relações Exteriores Yair Lapid, ganharia 19 assentos, dois a mais do que atualmente, enquanto Azul e Blanco (do ministro da Defesa Benny Gantz) e Yisrael Beytenu manteriam seus oito e sete assentos, respectivamente.

O Yamina, fundado por Bennett, e o Trabalhismo ganhariam uma vaga para adicionar oito cada um, embora o agrupamento do Meretz pacifista e de esquerda caísse de seis para quatro.

Em oposição, o Likud passaria de 29 para 30 cadeiras, o ultraortodoxo Shas e a aliança religiosa conservadora Judaísmo da Torá Unida continuariam com nove e sete, respectivamente.

Além disso, a Lista dos Árabes Unidos manterá seus seis assentos se houver novas eleições, de acordo com a investigação.

As últimas eleições nacionais foram realizadas em 13 de junho, a quarta em pouco mais de dois anos devido à instabilidade política.

jha / rob/glmv

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.