1 de December de 2021

NOTICIAS

Normas para política de bem-estar animal entram em vigor em Cuba

Normas para política de bem-estar animal entram em vigor em Cuba

Havana, 10 jul (Prensa Latina) A entrada em vigor hoje das normas legais para o decreto-lei do bem-estar animal em Cuba responde a uma demanda da sociedade e estabelece garantias para a proteção da flora e da fauna.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Isto foi declarado em seu site pelo Ministério da Agricultura (Minag), responsável pela execução do marco legal que desenvolve a atual Constituição da República.

De acordo com a agência, o regulamento contribuirá para aumentar a conscientização sobre o cuidado e o respeito pelas espécies, e para alcançar uma relação harmoniosa entre os seres humanos e o meio ambiente.

Esta é a primeira experiência na ilha de um decreto-lei que consulta seu conteúdo fundamental com a população por meio de redes sociais e do site oficial da Minag, de modo que o que foi estabelecido tem um claro caráter democrático, observou a fonte.

O diretor jurídico do Ministério, Orlando Diaz, esclareceu que não são regras perfeitas, pois é o aparato jurídico específico inicial sobre o assunto em Cuba e não resolve todas as questões, portanto, o estudo de certos aspectos continuará.

De acordo com Yobany Gutiérrez, diretor do Centro Nacional de Saúde Animal, o decreto-lei visa regular os princípios, deveres, regras e propósitos relativos ao cuidado, saúde e uso dos espécimes.

A política assume como uma definição de bem-estar ‘o estado físico e mental adequado de um animal em relação às condições em que ele vive e morre’, que é o mesmo conceito considerado pelas organizações internacionais de referência, disse Gutiérrez.

O documento proíbe que as pessoas induzam o confronto entre quaisquer espécies, com exceção daquelas aprovadas pela autoridade competente, e regulamenta as obrigações dos veterinários.

Rinha de galos, rodeios, caça esportiva, circos e outras atividades dessa natureza são socialmente consensuais, e há uma parte da população cubana que pratica e concorda com eles, disse o Ministério da Agricultura.

No entanto, segundo María Gloria Vidal, presidente do Comitê Nacional de Bem-Estar Animal, o regulamento estabelece os limites necessários para evitar dor, lesões e doenças aos animais utilizados nestas práticas.

Cuba não é o único país com esses dilemas, nem mesmo a Espanha foi capaz de abolir as touradas por causa de suas tradições, daí a necessidade de levar as pessoas através de um processo educacional progressivo que garanta essas modificações culturais, explicou ela.

Além da função de animais de estimação em casa, o importante é que os proprietários, cuidadores e os responsáveis por eles cumpram suas obrigações e atendam suas necessidades básicas, disse Vidal.

O Conselho de Estado aprovou o decreto-lei em 26 de fevereiro deste ano, e em 10 de abril foi publicado no Diário Oficial da República, juntamente com um regulamento que estipula a conduta a ser seguida pelos veterinários, organizações e pessoas físicas ou jurídicas, bem como as contravenções e sanções em cada caso.

msm/cgc/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.