1 de December de 2021

NOTICIAS

Criação biográfica e identitária da artista mexicana Frida Kahlo

Criação biográfica e identitária da artista mexicana Frida Kahlo

Havana, 6 jul (Prensa Latina) A arte da artista mexicana Frida Kahlo, nascida em um dia como hoje em 1907 em Coyoacán, constitui uma espécie de biografia, catarse, salvação, identidade e, segundo os especialistas, a representação da mulher moderna.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em entrevista exclusiva à Prensa Latina, o historiador e crítico de arte cubano Rafael Acosta de Arriba considerou que a personalidade do artista, uma das mais reconhecidas do continente, era complexa, às vezes recolhida, exuberante, cheia de paixão, sofrimento físico e moral, autêntica e serena.

‘O ensaísta francês André Breton disse de suas criações que elas eram uma fita de seda ao redor de uma bomba. O trabalho pictórico desta bela mulher é único e irrepetível, enigmático, fascinante, onírico, perturbador e ultrapassa qualquer classificação’, reconheceu o acadêmico.

Sua própria existência determina a proliferação de numerosas lendas na nação asteca, a aparência velada ou direta em uma variedade de produções audiovisuais e até mesmo controvérsias sobre sua abordagem e desenvolvimento da criação pictórica e sua relação convulsiva com o muralista Diego Rivera.

O também diretor da revista da Biblioteca Nacional José Martí em Havana destacou sua experiência como retratista e ‘diz-se que o pintor e escultor espanhol Pablo Picasso afirmou que nem ele, nem Derian (André), nem o próprio Rivera poderiam pintar rostos como ela’.

A mais recente homenagem pública é um livro que compila os esboços de obras conhecidas e elogiadas, desenhos espalhados pelo mundo, retratos para seus amigos ou traços de introspecção, provas de uma Frida íntima, misteriosa e profunda.

Embora sua arte responda a períodos descritos pelo Academismo ou pela espontaneidade como ingênuo, moderno, surrealista, realismo mágico, naturalista, simbólico, social realista ou cubista, a seleção de esboços é também um reflexo de seu pensamento, como passagens de um diário descritivo.

O volume resgata cerca de trinta esboços dos mais de 200 que, aparentemente, existem no mundo compilados em galerias de arte e coleções particulares e inclui desenhos, retratos e autorretratos da artista, peculiares por suas sobrancelhas coladas, coque chignon trançado e fantasias coloridas.

‘Sua vida foi irreverente, espontânea, debochada, amarrada e marcada por um sofrimento perene. Em consequência de um acidente que lhe partiu a coluna vertebral na juventude e a encheu de dor e imobilidade, ela ficou absorvida em sua arte autodidata e íntima, mas esplêndida’, disse Acosta de Arriba.

Embora Rivera fosse a mais popular das duas durante as primeiras décadas do século XX, após suas mortes na década de 1950, a artista mexicana emergiu como uma figura emblemática das tradições e idiossincrasias de seu país, a ponto de seu rosto adornar bolsas, joias, tapeçarias e espaços culturais.

‘O ensaísta mexicano Octavio Paz disse de seu trabalho que era pura poesia explosiva, uma frase que, na boca daquele poeta, é de grande conotação. Ela também era admirada por outros gigantes da pintura e da cultura de seu tempo, como Vasili Kandinsky e Marcel Duchamp’, disse ele.

A única objeção sobre Frida do pesquisador cubano está na retratação que ela fez sobre sua relação com Leon Trotski, que negou não só sobre sua pessoa, mas também sobre suas ideias, após uma grande amizade e até mesmo um caso de intimidade amorosa.

No entanto, ele disse: ‘ela era uma artista excepcional e seu trabalho permanecerá para a posteridade como um legado de misteriosa assombração, surreal, visceral e angustiado, mas cheio de beleza’.

jha/dgh/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.