6 de December de 2021

NOTICIAS

China publicará 50 livros sobre a América Latina na próxima década

China publicará 50 livros sobre a América Latina na próxima década

Beijing, 5 Jul (Prensa Latina) A China publicará nos próximos 10 anos 50 livros sobre temas históricos, culturais e humanísticos da América Latina, para que seus cidadãos possam conhecer mais e melhor uma região de crescente atratividade, noticia hoje a imprensa local .
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Segundo a agência Xinhua, trata-se de uma iniciativa conjunta da Editora da Universidade de Pequim e do Centro de Estudos Chineses e Latino-Americanos (Cecla) que reunirá especialistas nacionais e especialistas do México, Brasil, Uruguai, Peru, Argentina.

O projeto buscará disseminar informações e ampliar o conhecimento sobre essa área, já que nos últimos anos cada vez mais pessoas do gigante asiático demonstram interesse em visitá-lo ou estabelecer relações de cooperação.

Guo Cunhai, coordenador do Cecla e co-editor desta série, destacou que ela permitirá o acesso à bibliografia latino-americana não traduzida por casas europeias e americanas.

‘A partir de agora, os leitores chineses não precisarão mais olhar para a região com o ponto de vista refratado pela Europa e pelos Estados Unidos, acrescentou, lembrando que a China é um dos principais parceiros comerciais de muitos países do subcontinente.

Quando Cuba em setembro de 1960 reconheceu a República Popular da China como o único representante legítimo de seu povo, abriu-se o caminho para uma aproximação harmoniosa entre o gigante asiático e a região fundada em pontos convergentes e no respeito à livre escolha de cada sistema político e estratégia de desenvolvimento.

Entre 2017 e 2018, Panamá, República Dominicana e El Salvador foram os últimos a fazer a determinação soberana de estabelecer laços com a segunda potência do mundo e agregar projetos como o Cinturão e a Rodovia, que busca construir uma ampla rede de infraestruturas e operações comerciais, por terra e mar.

A China disse hoje que trabalhará com a América Latina e o Caribe para fortalecer a amizade e expandir a cooperação mutuamente benéfica, destacando o desenvolvimento estável de laços bilaterais 60 anos após o estabelecimento.

Recentemente, o Ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, disse à Prensa Latina que a pandemia do Covid-19 constituiu uma nova frente de apoio e colaboração entre as partes, por meio de ações práticas.

Mencionou também que em 2020 as trocas econômico-comerciais ultrapassaram os 300 mil dólares pelo terceiro ano consecutivo e as exportações dessa área para este mercado continuaram aumentando.

‘Podemos dizer que a pandemia não obstruiu a cooperação entre a China, a América Latina e o Caribe, mas aproximou os corações e os interesses de nossos povos’, resumiu o diplomata, ratificando a disposição de Pequim em fortalecer o relacionamentos mútuos.

mem/ymr/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.