2 de December de 2021

NOTICIAS

Alemanha relata o pior semestre para seu mercado automotivo

Alemanha relata o pior semestre para seu mercado automotivo

Berlim, 5 jul (Prensa Latina) A agência nacional de importadores de automóveis VDIK e o Escritório Federal do Automóvel relataram hoje o primeiro semestre deste ano como o pior em 30 anos em relação a este tipo de indústria alemã.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Janeiro a junho de 2021 surgiu como o pior período em termos de vendas desde a reunificação do país, em 1991.

O setor está passando por um período de dificuldades acentuado pela lenta recuperação da Covid-19 e pela escassez global de chips eletrônicos.

Esta escassez está impedindo os fabricantes de satisfazer os pedidos de seus clientes, que têm crescido de forma constante nos últimos meses.

No total, 1.390.889 novos veículos foram registrados na primeira economia europeia, um aumento de 14,9% em comparação com os primeiros seis meses de 2020.

Tal número denota o pior semestre de vendas desde 1991, sempre de acordo com as fontes mencionadas.

Uma declaração conjunta das partes insiste que neste momento eles estão lentamente se recuperando após um colapso espetacular no ano passado.

Quanto às marcas, a líder de mercado VW (do grupo Volkswagen) viu suas vendas crescerem 23,9% ano a ano, e representa 20,8% do mercado.

Enquanto isso, as vendas de veículos BMW subiram 19,8%, enquanto a Mercedes é a única montadora alemã a sofrer um declínio (-0,6%). As vendas de veículos elétricos subiram 311,6% e agora representam 12,2% das novas matrículas.

O Ministro da Economia Peter Altmaier garantiu que a Alemanha alcançaria sua meta de um milhão de veículos elétricos na estrada até julho.

mem/rfc/vmc/gdc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.