29 de November de 2021

NOTICIAS

Retirada turca da Convenção de Istambul gera protestos

Retirada turca da Convenção de Istambul gera protestos

Ancara, 1 Jul (Prensa Latina) A retirada da Turquia da Convenção de Istambul, a partir de hoje, levou organizações feministas a convocar protestos nas principais cidades do país.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O texto, elaborado no âmbito do Conselho da Europa, entrou em vigor em agosto de 2014 quando foi assinado por mais de trinta países para combater a violência contra as mulheres.

Em março passado, Erdogan anunciou a saída da Turquia da Convenção sob o argumento de que ‘normaliza a homossexualidade’; Enquanto isso, partidos de oposição e organizações feministas garantiram que tal decisão é uma estratégia eleitoral para conquistar votos entre os setores mais conservadores do país.

Organizações não governamentais e a União Europeia pediram a Erdogan que reconsiderasse a medida, enquanto o mais alto tribunal administrativo do país rejeitou na segunda-feira um recurso para anular a decisão do governo.

O órgão judicial argumentou que a autoridade para ratificar ou anular o pacto não é o parlamento, mas o presidente, segundo a agência Anadolu.

O presidente turco garantiu que a ruptura não significa um retrocesso para as mulheres em termos de direitos e liberdades.

Mas números fornecidos por organizações não governamentais apontam 189 mulheres assassinadas no país até agora este ano.

A ação hoje tomada pelo Executivo turco faz deste país o primeiro membro do Conselho da Europa a se dissociar de uma convenção internacional de Direitos Humanos, segundo fontes comunitárias.

mem/ehl/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.