6 de December de 2021

NOTICIAS

Presidente eleito do Peru condena ataque contra camponeses

Presidente eleito do Peru condena ataque contra camponeses

Lima, 25 Jun(Prensa Latina) O virtual presidente eleito do Peru, Pedro Castillo, condenou hoje a agressão a camponeses que o apóiam por parte de um grupo violento vinculado a sua rival derrotada nas urnas, Keiko Fujimori.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

‘Rejeito energicamente os atos violentos cometidos por grupos de Fujimori contra os irmãos e irmãs que resistem na periferia do Júri Eleitoral Nacional (JNE)’ concentrados em frente às instalações deste organismo, esperando que Castillo seja proclamado chefe de Estado.

‘Os ataques não representam aqueles de nós que acreditam na democracia. Solidariedade e justiça para as vítimas’, acrescentou ele em uma mensagem no Twitter sobre o ataque de ontem.

Os camponeses foram atacados de surpresa, quando realizaram um ritual andino de homenagem à Mãe Terra, pelo Dia do Camponês, que lembra a lei de reforma agrária do governo nacionalista de Juan Velasco Alvarado, promulgada em 24 de junho de 1969.

Os camponeses, vindos do interior do país, processam o Júri Eleitoral Nacional

A televisão local identificou vários dos agressores como membros do grupo anticomunista ‘La Resistencia’, que durante anos perseguiu parlamentares, jornalistas e promotores e a corrupção que de uma forma ou de outra afeta Keiko Fujimori, que nega ter qualquer relação com eles.

Eles também foram vistos em atos de perseguição às casas dos chefes dos órgãos eleitorais, para pressioná-los a aprovar os recursos apresentados por Fujimori com vistas a reverter os resultados emanados das urnas, sem atingir aquele objetivo.

Membros do grupo tentaram agredir Pedro Castillo semanas atrás, quando ele deixou as instalações de seu partido, sendo rejeitado por militantes do Peru Libre.

Eles fazem parte dos grupos que incentivam Keiko Fujimori da rua durante as audiências do caso de lavagem de dinheiro e outros crimes, pelos quais o Ministério Público pede 30 anos e 10 meses de prisão.

O jornalista Nicolás Lúcar assinalou que os camponeses agressores são terroristas de direita que ‘por agora’ atacam aqueles que não pensam como eles.

‘O que virá depois, se permitirmos que ajam impunemente, serão os assassinatos. Estamos avisados’, acrescentou o importante comentarista de televisão.

mem/sra/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.