16 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Comunidade internacional apoia Cuba e EUA continuam isolados

Comunidade internacional apoia Cuba e EUA continuam isolados

Nações Unidas, 24 jun (Prensa Latina) A comunidade internacional ratificou mais uma vez na Assembleia Geral da ONU sua rejeição ao bloqueio imposto a Cuba pelo governo dos Estados Unidos, que permanece isolado hoje em dia em seus esforços unilaterais.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Ontem, 184 Estados membros das Nações Unidas votaram a favor do levantamento do cerco estadunidense contra a ilha do Caribe, enquanto a Ucrânia, Colômbia e Brasil se abstiveram e apenas dois apoiaram a manutenção deste mecanismo: os Estados Unidos e Israel.

Segundo a vice-ministra das Relações Exteriores cubana Anayansi Rodríguez no Twitter, 49 oradores levantaram suas vozes contra o bloqueio dos EUA na quarta-feira na Assembleia Geral, seis dos quais representando grupos de países.

A Comunidade Caribenha, o Grupo dos 77 mais a China, o Movimento dos Não-Alinhados e a Associação das Nações do Sudeste Asiático estavam entre as organizações internacionais que rejeitaram as medidas coercitivas de Washington.

Além de denunciar o recrudescimento do bloqueio dos EUA em meio à pandemia de Covid-19, muitos destacaram a solidariedade de Cuba diante da crise sanitária e como, apesar dos obstáculos, a ilha foi capaz de desenvolver com sucesso seus próprios candidatos à vacina.

O representante permanente da Rússia junto às Nações Unidas, Vassily Nebenzia, disse que qualquer medida discriminatória ou interferência na soberania nacional e ingerência nos assuntos internos dos países é inaceitável. Da mesma forma, disse ele, a guerra de sanções desencadeada pelos Estados Unidos para atingir seu objetivo de eliminar um governo do qual não gosta é um exemplo de política externa agressiva.

Nebenzia rejeitou o bloqueio dos EUA contra Cuba e destacou como este mecanismo vai contra os direitos humanos e o bem-estar de todo um povo.

A Rússia não vê nenhuma mudança visível na política externa da Casa Branca em relação a Cuba sob a administração do Presidente Joe Biden e esperamos que a mudança e a razão imperem, disse o representante de Moscou junto à ONU.

Enquanto isso, o embaixador chinês Zhang Jun explicou os graves danos que as medidas coercitivas unilaterais causam às relações internacionais e enfatizou que todos os países têm o direito de tomar medidas a esse respeito.

Ele também lamentou a persistência do bloqueio dos EUA, embora os membros da Assembleia Geral das Nações Unidas tenham votado contra ele com força e consecutivamente durante os últimos 28 anos.

Zhang salientou, em particular, que em meio à pandemia de Covid-19, a Casa Branca optou por intensificar sua posição contra Cuba e, como resultado, impediu o acesso a medicamentos e suprimentos necessários para combater a doença na ilha.

Por sua vez, o embaixador boliviano na ONU, Diego Pary, descreveu o bloqueio dos EUA como ilegal, desumano e criminoso e lembrou que Washington mantém velhas práticas de punir aqueles que não concordam com sua visão.

jf/ifb/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.