27 de June de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Enfermeira de Maradona é chamada para investigação

Enfermeira de Maradona é chamada para investigação

Buenos Aires, 15 Jun (Prensa Latina) A enfermeira que estava de plantão no momento da morte do ex-jogador argentino Diego Armando Maradona foi chamada hoje para depor em processo aberto para apurar se houve negligência no caso.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Esta é Dahiana Gisela Madrid, 36, que é uma das sete pessoas acusadas de homicídio simples doloso, crime que prevê pena de oito a 25 anos de reclusão, no caso de haver más práticas que poderiam ter levado o Pibe de Oro à sua morte.

Madrid estava de serviço naquele meio-dia quando Maradona foi encontrado morto no quarto de uma casa na cidade de Tigre, em Buenos Aires, onde se recuperava de uma operação de hematoma subdural. Ela foi a primeira a tentar reanimá-lo, sem sucesso.

O procurador-geral da cidade de San Isidro convocou a enfermeira para depor neste dia, que será interrogada pelos três promotores que estão realizando a investigação, Patricio Ferrari, Cosme Iribarren e Laura Capra.

A jovem e seu colega de trabalho, Ricardo Omar Almirón, são responsabilizados por não terem atendido Maradona.

Previamente, ao depor, Madrid explicou que naquela manhã de 25 de novembro nunca entrou no quarto de Maradona, para o deixar descansar porque sabia que o psiquiatra e a psicóloga viriam ao meio-dia, e relatou como ela própria conduzia as manobras de reanimação que não tiveram sucesso.

Em seguida, foi novamente chamada pelo Ministério Público, após conhecer um relatório da clínica Medidom, para a qual trabalhava, em que se afirmava que naquele dia ela havia tentado controlar Maradona e que ele recusou.

Madrid reconheceu que a denúncia era falsa e que o fez a pedido de seu supervisor, Mariano Ariel Perroni (40), outro dos acusados.

Em maio passado, o ex-clínico geral do futebolista, Leopoldo Luque, e os outros seis réus foram chamados para uma investigação. Entre os acusados também figuram a psiquiatra Agustina Cosachov e o psicólogo Carlos Díaz.

A decisão dos promotores foi tomada após os resultados lançados pelos 11 peritos oficiais que compunham uma junta médica, determinando para ver se havia negligência que causou a morte de Maradona.

O relatório da diretoria afirma que o trabalho da equipe responsável pela saúde de Maradona era inadequado e deficiente.

Em 22 de dezembro do ano passado, os estudos toxicológicos realizados pela Polícia Científica Argentina no corpo do ex-jogador de futebol, falecido um mês antes, revelaram a ausência de álcool ou drogas e as investigações sobre supostas negligências médicas continuam em andamento.

agp/may/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.