25 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

China permitirá que casais tenham um terceiro filho

China permitirá que casais tenham um terceiro filho

Pequim 31 Mai (Prensa Latina) A China hoje flexibiliza ainda mais sua política de planejamento familiar e permite que os casais tenham um terceiro filho, ao mesmo tempo em que busca evitar um declínio demográfico após a queda pelo quarto ano consecutivo na taxa de natalidade.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A decisão foi tomada em reunião do Comitê Central do Partido Comunista liderado pelo líder do grupo e presidente do país, Xi Jinping onde foram analisados relatórios com as estratégias a serem implementadas em 2021-2025 para enfrentar o envelhecimento população.

De acordo com o que tem acontecido até o momento, as autoridades também discutiram medidas para estimular a natalidade e garantir o equilíbrio de longo prazo no crescimento populacional.

Eles enfatizaram a necessidade de aumentar a idade de aposentadoria e otimizar o sistema de seguridade social.

A China divulgou os resultados do sétimo censo no dia 11 e desde então têm sido foco de análises dentro e fora do país, pois revelaram que ainda é a nação mais populosa do planeta com 1.411,78 milhões de habitantes, mas com expansão na última década foi lenta e o declínio demográfico poderia começar em 2022.

O estudo também registrou a chegada de apenas 12 milhões de bebês ao mundo em 2020, ou seja, a queda pelo quarto ano consecutivo, bem como a ascensão para 264,02 milhões de indivíduos com mais de 60 anos, que hoje representam 18,7% da cidadania. .

Corroborou as previsões sobre a tendência de queda do índice de recém-nascidos em relação a 2019, quando nasceram 14,65 milhões.

Antes de 2018, 15,23 milhões de bebês vieram ao mundo, enquanto em 2017 o número era de 17,2 milhões e ficou em 17,86 milhões durante 2016, ano em que a apólice do filho único cessou.

Especialistas destacam o impacto negativo do fenômeno sobre a economia e a seguridade social e exortam o Estado a solucionar os problemas citados pelos casamentos chineses em sua recusa em expandir seus descendentes.

Os casais costumam mencionar os altos custos de manter um bebê, o preço das casas, a disponibilidade limitada de creches e educação.

jf/ymr/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.