25 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Justiça do Panamá sentencia de novo contra o ex-presidente Martinelli

Justiça do Panamá sentencia de novo contra o ex-presidente Martinelli

Panamá, 29 mai (Prensa Latina) O ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli sofreu um novo revés legal quando alegou que o crime de escuta telefônica tinha ficado prescrito, um dos dois casos que ele está enfrentando atualmente perante os tribunais panamenhos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O juiz de garantias Elkis Martinez negou o pedido de ‘escutas telefônicas’, mas a defesa recorreu da decisão, com base em um detalhe técnico do tempo decorrido desde a abertura do caso, onde contesta que a justiça excluiu o período do processo de extradição dos Estados Unidos para o Panamá.

Esta decisão considerou o pedido ‘inadmissível’ e isto poderia colocar Martinelli de volta no banco dos réus no dia 22 de junho, quando o novo julgamento está marcado, para o qual um tribunal o considerou previamente ‘inocente’, um termo que foi ouvido pela primeira vez nos tribunais panamenses.

‘O importante aqui é que o juiz se expressou de forma muito acadêmica e nesse sentido determinou que o estatuto de limitações solicitado pela defesa não era válido’, disse o promotor no caso, Aurélio Vasquez, que assegurou que o Ministério Público está preparado para a audiência oral.

As reações dos advogados e do empório de mídia do bilionário acusado foram de total rejeição da decisão, com referências ofensivas aos juízes e situações anteriores do Judiciário, entre outros, o elemento técnico de que houve ‘acusação’ sem ‘acusação’ quando o caso foi julgado no Supremo Tribunal de Justiça.

‘Todo o modelo de gestão do Sistema Penal Acusatório está sofrendo um colapso por tentar manter uma pessoa em julgamento, independentemente de outras defesas, o básico é que ele nunca foi chamado a uma audiência por um promotor para acusá-lo diante de um juiz de garantias’, disse seu advogado Carlos Carrillo.

Este caso levou o acusado, que era um fugitivo da justiça panamenha, a ser capturado e detido nos Estados Unidos para que, após um processo que durou um ano, ele pudesse ser extraditado acorrentado para o Panamá, onde passou mais 12 meses em prisão preventiva por risco de fuga.

Pelo menos 11 outros casos criminais envolvem o ex-presidente como supostamente culpado, incluindo o caso de suborno da construtora Odebrecht, pelo qual ele será chamado perante os juízes juntamente com outros cinquenta réus, de acordo com relatórios recentes.

Martinelli e seu ‘exército de advogados’ (uma dúzia) argumentam que, com esses outros casos, eles violam o princípio da ‘especialidade’, que afirma que ele não pode ser julgado por outro crime antes daquele que causou a extradição; mas as autoridades estadunidenses desistiram desse direito, um direito que corresponde ao país emissor.

O sarcasmo popular se expressa nas redes sociais que depois de aparecerem diante dos meios de comunicação em alto astral, mesmo em atividades festivas, quando se aproxima a possibilidade de julgamento, surgirão ‘múltiplas doenças graves’ do acusado, que já recorreu a este ardil para atrasar o processo e buscar o estatuto de limitações de tempo.

msm/orm/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.