9 de December de 2021

NOTICIAS

Jordânia reitera apoio a uma solução justa para a Palestina

Jordânia reitera apoio a uma solução justa para a Palestina

Amã, 15 mai(Prensa Latina) A Jordânia reiterou hoje seu apoio a uma solução abrangente e justa para o povo palestino que inclua todos os direitos inerentes à sua soberania e independência.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O rei da Jordânia, Abdullah II, alertou que sem uma decisão de respeito e com a violência imposta por Israel na Jerusalém ocupada e na Faixa de Gaza palestina, crescem a instabilidade, a insegurança, o ódio e o extremismo na região.

No julgamento do monarca hachemita, a injustiça e a falta de soluções criam situações críticas que os terroristas exploram para recrutar apoiadores.

Abdala II expressou sua opinião durante uma cúpula virtual chamada Christchurch Call, em referência a um ataque em 2019 contra uma mesquita na cidade de mesmo nome na Nova Zelândia que deixou dezenas de mortos e feridos.

Diante de uma audiência alinhada com o presidente francês, Emmanuel Macron, e a primeira-ministra do país oceânico, Jacinta Ardern, o rei jordaniano enfatizou a necessidade de enfrentar a propaganda extremista no ciberespaço.

Quase em uníssono com a intervenção do monarca, a tropa de choque da Jordânia dispersou centenas de manifestantes pró-palestinos que tentavam alcançar uma ponte que levava à Cisjordânia ocupada por Israel.

Testemunhas alegaram que a polícia usou gás lacrimogêneo e tiros para o ar para impedir um protesto contra o massacre perpetrado pelos sionistas contra os palestinos.

Os manifestantes vieram de uma mistura de partidos de oposição e grupos tribais, cuja raiva está crescendo com a escalada da violência do sionismo contra os árabes.

Outras manifestações populares aconteceram nas ruas da capital com coros anti-Israel, exigindo a expulsão do embaixador de Tel Aviv e a anulação de um tratado de paz com Israel.

Centenas de mesquitas oraram pelas centenas de mortes na Faixa de Gaza causadas pelos bombardeios aéreos e terrestres do exército sionista.

A maioria dos 10 milhões de jordanianos é de origem palestina, cujos ancestrais foram expulsos após os combates que acompanharam a criação do Estado de Israel em 1948.

Há laços muito próximos com parentes do outro lado do rio Jordão, na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, ambos capturados por Tel Aviv na guerra árabe-israelense de 1967.

ga / arc/glmv

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.