3 de December de 2021

NOTICIAS

Pedida renúncia do comissário de paz da Colômbia

Pedida renúncia do comissário de paz da Colômbia

Bogotá, 8 mai (Prensa Latina) Personalidades de várias partes do mundo, diante da atual crise na Colômbia, divulgaram hoje uma carta solicitando a renúncia do Comissário para a Paz Miguel Ceballos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O texto é dirigido a jovens e pessoas de bairros, estudantes, mulheres, bases sindicais e organizações camponesas, comunidades negras e indígenas, Congresso do Povo, Comissão Nacional de Desemprego e outros espaços de luta.

É ‘uma mensagem que não quer apelar apenas ao seu compromisso social e político, sem dúvida histórico e exemplar no momento, mas à sua ‘sensibilidade e moralidade’ justamente quando entra em cena um ‘joguinho’ sombrio que o governo Duque está preparando em progresso’, alerta.

Salienta que ‘trata-se do chamado comissário para a paz, Miguel Ceballos Arévalo, delegado de um suposto plano de diálogo para desativar a grande mobilização cidadã e popular que hoje se vive’.

Refere que o comissário conduziu a mais infame zombaria do direito internacional, ignorando protocolos válidos assinados perante a comunidade de países fiadores formada para acompanhar as conversações de paz com o ELN.

Da mesma forma, acrescentam os signatários, foi Ceballos quem conduziu uma perversa campanha de perseguição contra o povo cubano para que essa nação solidária com a paz colombiana fosse sancionada pelo governo do então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

‘Não esquecemos sua alegria quando Cuba foi incluída nas listas dos Estados Unidos referindo-se ao suposto apoio ao terrorismo, como resultado do sinistro lobby realizado por Ceballos’, lembram os signatários na carta.

Enfatizam que este Alto Comissário, justamente identificado como ‘inimigo da paz e da justiça’ por suas ações contra os acordos internacionais, é quem promove o crime de perfídia, como tal proscrito no direito dos conflitos armados.

Ressaltam que um funcionário que já tem uma dívida muito elevada com o país e o mundo por sua gestão desastrosa, que dirige as ações de inteligência militar no departamento de Cauca, está satisfeito e se posiciona em meio ao assassinato sistemático de lideranças sociais e ex-combatentes, ele não pode gozar de nenhum tipo de crédito.

‘Uma exigência razoável que exalte a sua razão ética e superioridade moral é a retirada imediata de Miguel Ceballos de um cargo que alguém com mínima credibilidade moral deveria ter ocupado’, argumentam.

A carta é assinada por, entre outras personalidades, Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Santiago Alba Rico, filósofa e escritora espanhola Luisa Antonia Raby, membro da Justiça pela Colômbia, Mirta Acuña, cofundadora das Mães e Avós da Plaza de Mayo, e Mario Ossaba, artista e pintor francês.

jf/otf/kl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.