21 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Sanções contra soldados franceses que assinam o editorial

Sanções contra soldados franceses que assinam o editorial

Paris, 29 de abr (Prensa Latina) Políticos e militares franceses apoiaram hoje as sanções anunciadas pelo chefe do Estado-Maior do Exército, François Lecointre, contra 18 oficiais que assinaram um editorial sobre os supostos riscos de desintegração do país e de guerra civil.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em sua conta no Twitter, o líder da França Insubordinada, Jean-Luc Mélenchon, comemorou a decisão de punir os signatários ativos, que, como destacou ontem o general Lecointre, enfrentarão conselhos militares, que poderão até decidir pela dispensa.

O Exército na França é republicano e seu chefe o prova, ressaltou o parlamentar e candidato às eleições presidenciais de 2022, ao reiterar sua denúncia a um apelo à insurreição no texto publicado em 21 de abril no semanário judiciário conservador Valeurs atuelles, sob a rubrica de 20 generais aposentados.

Por seu turno, o chefe de redação da revista Défense nationale, Jérôme Pellistrandi, qualificou as medidas contra os responsáveis como legítimas e apelou a uma mão forte.

Pellistrandi considerou em declarações à rede Franceinfo que a polêmica criada, com ampla repercussão na imprensa, afeta a imagem da instituição militar.

O editorial foi dirigido ao presidente Emmanuel Macron, com um alerta para a alegada ameaça de desintegração da França e da guerra civil face ao avanço do ‘islamismo e das hordas da periferia’.

Além do sentimento anti-imigrante, em particular contra os muçulmanos, foi levantada a preocupação com a afirmação de que, diante da situação prevalecente, alguns ‘camaradas ativos poderiam intervir’, frase interpretada como uma possível convocação de um golpe para defender o que consideravam ‘valoriza a civilização’.

Na véspera, em artigo do jornal Le Parisien, o chefe do Estado-Maior anunciou a realização de conselhos para o pessoal da ativa que assinou o texto, assinado por cem oficiais de vários graus e um total de mil militares.

Do governo, o primeiro-ministro Jean Castex e a ministra da Defesa, Florence Parly, condenaram a publicação e seu uso para fins políticos.

A menos de um ano das eleições presidenciais francesas, a candidata da extrema direita, Marine Le Pen, manifestou apoio aos signatários e os convidou a aderir à ação de seu Agrupamento Nacional na luta pelo país.

msm / wmr / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.