6 de December de 2021

NOTICIAS

Biden destaca o desinteresse dos EUA em conflito com a Rússia

Biden destaca o desinteresse dos EUA em conflito com a Rússia

Washington, 29 abr (Prensa Latina) O presidente americano Joe Biden insistiu que seu país não tem intenção de agravar o conflito com a Rússia e mencionou a possível cooperação bilateral quando há interesses comuns.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixei claro ao Presidente Vladimir Putin que embora não procuremos um aumento das tensões, as ações russas têm consequências, disse Biden em seu primeiro discurso antes de uma sessão conjunta do Congresso.

Entretanto, disse o chefe da Casa Branca, os Estados Unidos e a Rússia podem cooperar quando for de seu interesse mútuo, apontando para a luta contra a mudança climática.

Em 15 de abril, Washington impôs – por uma ordem executiva – novas sanções à Rússia sob o pretexto de supostos ataques cibernéticos e supostas interferências nas eleições de 3 de novembro de 2020.

Também expulsou 10 diplomatas russos, uma ação que recebeu uma resposta semelhante de Moscou.

Como parte da provisão presidencial, o Departamento do Tesouro impedirá que as instituições financeiras americanas comprem títulos do Banco Central, do Fundo Nacional de Riqueza e do Ministério da Fazenda russo após 14 de junho e emprestem fundos a essas instituições.

A administração dos EUA também puniu seis empresas russas de alta tecnologia que, segundo ela, fornecem apoio a operações de inteligência, junto com 32 indivíduos envolvidos nos esforços para influenciar as eleições acima mencionadas.

Após as sanções, mas naquele mesmo dia, Biden, disse que não tinha intenção de aumentar o conflito com a Rússia e que pretendia manter uma relação estável e previsível.

Sobre a China, o presidente dos EUA disse na quarta-feira que seu homólogo Xi Jinping que Washington manterá uma forte presença militar na região Indo-Pacífico.

Por outro lado, ele descreveu os programas nucleares do Irã e da República Popular Democrática da Coréia como ameaças à segurança dos EUA, ignorando os argumentos de Teerã e Pyongyang sobre essa questão.

msm/dsa/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.