6 de December de 2021

NOTICIAS

OIT Defende sistemas de saúde e segurança ocupacional

OIT Defende sistemas de saúde e segurança ocupacional

Genebra, 28 abr (Prensa Latina) A Organização Internacional do Trabalho (OIT) exortou hoje os governos a implementarem sistemas de saúde e segurança ocupacional sólidos e resistentes para mitigar os riscos em face de futuras emergências de saúde.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em seu relatório Antecipando Crises, Preparar e Responder – Investindo em Sistemas Resilientes Hoje, a maior autoridade do mundo em questões trabalhistas alertou sobre a necessidade de investir em infraestrutura de segurança e saúde ocupacional (SST) e integrá-la aos planos de preparação e planejamento e resposta à crise em nível nacional.

Trata-se, destacou o documento, de cuidar dos trabalhadores e facilitar a continuidade da atividade empresarial.

Desde o surgimento da pandemia da Covid-19, trabalhadores em setores específicos, particularmente aqueles em cuidados de emergência, saúde e assistência social, têm trabalhado em uma situação particularmente vulnerável ao risco de infecção.

Dados fornecidos pela OIT indicam que 7.000 trabalhadores de saúde morreram desde o surgimento do SARS-Cov-2, e 136 milhões de serviços de saúde e assistência social estão em risco de serem infectados ou afetados em sua saúde mental por depressão e ansiedade, como já mostrado por um em cinco dessas pessoas.

Salienta ainda que, embora o teletrabalho tenha limitado a propagação da doença e contribua para a manutenção do emprego e da continuidade empresarial e para uma maior flexibilidade dos trabalhadores, dificultou a delimitação entre o horário de trabalho e a vida pessoal.

De acordo com a OIT, pequenas e microempresas muitas vezes lutam para atender aos requisitos oficiais de SST, já que muitas não têm recursos para enfrentar os desafios colocados pela pandemia.

Destaca ainda que parte dos 1,6 bilhão de pessoas que trabalham na economia informal, principalmente nos países em desenvolvimento, continuam a fazê-lo apesar do confinamento e das restrições de locomoção e interação social, com alto risco de contrair o vírus e sem proteção social como o direito a licença médica ou pagamento.

Conforme destacado no relatório, as normas internacionais fornecem diretrizes específicas sobre como enfrentar esses desafios e, consequentemente, mitigar o risco de disseminação da Covid-19 no trabalho.

mem / crc /bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.