3 de December de 2021

NOTICIAS

Cientista político avalia domínio do MAS após as últimas eleições

Cientista político avalia domínio do MAS após as últimas eleições

La Paz, (Prensa Latina) Os resultados das eleições de 7 de março na Bolívia mostram hoje que o Movimento ao Socialismo (MAS) consolidou seu domínio territorial diante de uma oposição fragmentada, disse o cientista político Hugo Siles.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Os resultados do referendo regional foram favoráveis ao MAS, que venceu em 240 dos 336 municípios do país e ganhou pelo menos 25 outros, explicou o ex-ministro da autonomia em entrevista ao diário boliviano Bolívia.

Além disso, o MAS ganhou três dos nove cargos de governador, e praticamente controla oito das nove assembleias departamentais; dos 262 membros da assembleia boliviana, o partido governante tem 170, portanto há uma ampla cobertura, disse ele.

A este cenário soma-se a decisão dos governadores eleitos de Chuquisaca, Pando, La Paz, Tarija e alguns prefeitos, como os de Cochabamba e Cobija, que expressaram sua decisão de trabalhar com os governos departamentais e nacionais, disse ele.

Agora, a oposição parece atomizada porque nos cargos de prefeitos onde há oponentes eleitos, eles são de grupos regionais de cidadãos e, no caso dos governadores, são candidatos com acrônimos emprestados, disse Siles.

Para o analista há uma relação desconexa dos lugares mais importantes, como os governos de La Paz, Chuquisaca, Santa Cruz, Tarija, Pando, Beni e as prefeituras de El Alto, La Paz e outros, enquanto seus atores estão ideologicamente divididos e não foram capazes de articular uma alternativa ao EAM.

É provável que a oposição busque a unidade com base em itens da agenda, incluindo o censo, recursos e o pacto fiscal, mas não é uma posição unida, disse ele.

A votação subnacional também mostrou que os partidos tradicionais Unidad Nacional de Samuel Doria Medina, Unidad Cívica Solidaridad de Jhonny Fernández e o Movimiento Nacionalista Revolucionario de Luis Eduardo Siles foram deslocados da cena política, disse ele.

Falta-lhes relevância no contexto da participação da Bolívia, razão pela qual existe uma oposição dispersa que responde a diferentes posições ideológicas e não se expressa sequer a partir da mesma ideologia de direita, observou Siles.

jcm/znc/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.