6 de December de 2021

NOTICIAS

Macron reforça agenda de segurança a um ano da eleição presidencial

Macron reforça agenda de segurança a um ano da eleição presidencial

Paris, 19 abr (Prensa Latina) O chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, visitará hoje a cidade sulista de Montpellier para abordar questões de segurança, um tema promovido pelo presidente um ano antes das eleições presidenciais.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Na véspera, Macron concedeu entrevista exclusiva ao jornal Le Figaro dedicada à questão espinhosa, na qual prometia a redução da criminalidade no país e propunha um debate nacional sobre o uso de drogas.

Para imprensa e especialistas, há uma ligação entre a atuação do presidente sobre o tema e as eleições cada vez mais acirradas, embora o político de 43 anos não tenha oficializado sua candidatura, que poucos em solo francês duvidam que seja um fato mais cedo ou mais tarde.

A rede de rádio RTL mencionou hoje ‘uma nova ofensiva’ sobre o assunto e o próprio Le Figaro lembrou uma pesquisa recente do Instituto Elabe, na qual os eleitores colocaram a questão da tranquilidade cidadã no mesmo nível de preocupação que o emprego e o poder aquisitivo.

‘Emmanuel Macron coloca a segurança no topo da agenda política’, publicou o jornal Les Echos, ao mesmo tempo em que enfatiza a ratificação ontem pelo chefe de Estado de sua promessa de aumentar em 10.000 policiais nas ruas da França antes do final do mandato de cinco anos. Os analistas consideraram que, na realidade, o atual anfitrião do Palácio Elysee não tem outra escolha, em meio a críticas à sua administração e às acusações lançadas por seus principais opositores em abril de 2022, se, como esperado, ele decidir buscar a reeleição.

Pesquisas, incluindo uma realizada há alguns dias pelo Instituto Francês de A opinião Pública, apontam para uma repetição da votação de 2017 entre Macron e o líder da extrema-direita Marine Le Pen, com o tradicional competidor de direita Xavier Bertrand uma dúzia de pontos atrás.

Bertrand ontem atribuiu aos quatro anos de gestão do presidente ‘um fracasso total’ na segurança e o acusou de não estar à altura da responsabilidade de garantir a segurança de seus concidadãos.

Le Pen (Rassemblement Nationale) também se chocou recentemente com seu eventual rival, chamando-o de ‘o presidente do caos e da violência em toda parte’, enquanto o deputado do Partido Republicano Eric Ciotti se referiu a ‘uma explosão de crimes, níveis recordes de imigração e um aumento sem precedentes do islamismo’.

Além da questão política e das eleições de abril de 2022, a população reflete a preocupação com o aumento dos tiroteios em alguns territórios, confrontos entre clãs, casos de violência policial, tráfico de drogas e ataques à polícia, bombeiros e prefeitos.

Macron defendeu na entrevista com Le Figaro seu trabalho, reconheceu o aumento nos últimos anos da violência contra as pessoas e negou que o uso excessivo da força e do racismo têm uma presença sistêmica no desempenho dos agentes da lei.

jf/wmr/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.